PIEDRAS ROJAS + LAGUNAS ALTIPLANICAS + SALAR + PUEBLO TOCONAO // Deserto do Atacama

Esse foi um dos passeios mais especiais pra mim durante a trip pelo Atacama – mas eu tenho um motivo em especial que vou contar mais adiante.

Pra você começar a entender o que são as “Piedras Rojas”, o “salar do Atacama” e as “Lagunas Altiplanicas” preciso dizer, antes de mais nada, que pra fazer esse percurso você vai subir de carro as montanhas da região, e muito. Ultrapassamos os 4 mil metros acima do nível do mar – isso significa um pouco de tontura e falta de ar. Nem todo mundo sofre com a altitude mas a dica é deixar esse roteiro mais para o fim da viagem para o corpo ter tempo suficiente para se aclimatar.

Normalmente as agências oferecem um pacote com todos esses passeios juntos: “Piedras Rojas” + “Lagunas Altiplanicas” + “salar do Atacama”. O motivo é simples: esses pontos ficam mais ou menos próximos e é mais fácil fazer tudo isso no mesmo roteiro.

O roteiro começa, geralmente, com o “salar”:

 

SALAR DO ATACAMA

É um imenso deserto de sal a 2.300 metros de altitude. Uma área gigantesca (são 320 mil hectares) de um impressionante deserto formado por rochas de sal. As rochas cercam lagoas imensas também que servem de morada para dezenas de flamingos. Tudo isso com a cordilheira dos Andes de fundo.

thumbnail (10)

desert-919106_1280

Algumas agências fazem esse tour pela manhã cedo – e montam uma mesa de café ali mesmo com aquela vista maravilhosa (mas vá preparado para o frio).

Outras agências te levam para ver o pôr do sol e servem uma mesa de café no fim de tarde.

thumbnail (11)

E já adianto: quem conhece o salar de Uyuni, na Bolívia, não vai achar tanta graça assim no salar do Atacama.

O ingresso para entrar no “salar” é de 2.500 pesos (mais ou menos 16 reais).

De lá o tour segue para Piedras Rojas.

 

atacama-desert-594605_1280

 

PIEDRAS ROJAS

Em português, “pedras vermelhas”. O nome se deve ao cenário formado por gigantescas pedras com tons avermelhados – a cor se deve a alta quantidade de ferro oxidado nas pedras.

O local fica a mais de 4.000 metros do nível do mar – por isso algumas pessoas se sentem mal devido a altitude (não esqueça de deixar para fazer esse passeio mais para o fim da sua viagem).

 

Antigamente era possível chegar bem pertinho das montanhas mas agora não mais. Tudo graças a um atleta brasileiro que, segundo o que contam nas agências, praticou ilegalmente kitesurf na lagoa de Piedras Rojas e ainda usou um drone – o que também não seria permitido (tudo para a gravação de um programa do canal OFF). Por consequência a comunidade indígena, que toma conta da região, teria fechado o local para os turistas.

deserto-do-atacama-piedras-rojas-676x422

Agora temos um ponto máximo a chegar – um mirante – e nada mais.

O mirante é gratuito e não é preciso pagar nada para estar nele.

Esse passeio foi inesquecível pra mim pois foi o primeiro dia da neve. Fomos surpreendidos na estrada por uma tempestade. Tivemos que parar o carro e o motorista só seguiu caminho pq insistimos muito (pagamos caro e queríamos tentar nos aproximas das “piedras rojas”). Com segurança seguimos a estrada, passamos pela tempestade de neve e tivemos uma das experiências mais bonitas que já tive.

Ou seja, mesmo que você não vá durante o verão, terá um cenário surpreendente das montanhas de Piedras Rojas.

thumbnail (16)
Tempestade de neve se aproximando
thumbnail (17)
Guia decide esperar mas depois seguimos viagem
thumbnail (19)
Caminho para Piedras Rojas

 

 

LAGUNAS ALTIPLANICAS

O roteiro sai das Piedras Rojas e sobe um pouco mais rumo às “lagunas altiplanicas”. Agora estamos a 4.200 metros de altitude. Duas lagoas gigantescas em meio ao cenário árido do deserto do Atacama.

Diz a história que seria uma única lagoa aos pés do vulcão. O vulcão, ao entrar em erupção, jogou lava para dentro da laguna – que acabou se separando em duas. Hoje elas são chamadas de Miñiques e Miscanti. Para visitá-las o parque cobra um ingresso no valor de 3 mil pesos (o equivalente a 20 reais).

Pegamos um frio absurdo – de ver a mão ficar roxa e quase não mexer mais. Vá preparado, em qualquer época do ano, com casacos, mantas, gorros, luvas. Nunca é roupa demais (acredite nisso).

volcano-594603_1280
Essa é a imagem que normalmente se tem das lagunas
thumbnail (21)
Essa é a imagem que encontrei depois da neve

É voltando das Piedras Rojas e das Lagunas Altiplanicas que geralmente as clássicas fotos na beira da estrada do Atacama são feitas.  Peça para o seu guia parar na volta e não perca a chance das fotos.

thumbnail (22)

 

PUEBLO DE TOCONAO

Antes de encerrar o roteiro ainda inclui parada no Pueblo de Toconao – um pequeno povoadinho (e um pouco sem graça) aonde é possível ver as casinhas simples de uma pequena cidade no meio do deserto. Na pracinha haverá uma banca para comprar lembrancinhas e vai ser possível experimentar sorvetes locais (COMA, POR FAVOR).

Os sabores dos sorvetes locais são deliciosos – não deixe de comer o de “rica rica” (uma erva super cheirosa e utilizada geralmente para conter dores de estômago), e de folhas de Coca (clássico).

thumbnail (24)
Sorvete de Rica Rica

thumbnail (23)

O tour se encerra por volta de 17 horas e você vai voltar podre para o hostel!

Esse passeio, que dura o dia todo, custa em média 50 mil pesos (mais ou menos 322 reais) e inclui o café da manhã, almoço e mais o transporte e guia para todos esses locais – os ingressos dos parques é você quem paga na hora.

O resumo é: não deixe de fazer esse roteiro.

thumbnail (25)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s